Temporada europeia de 2020/21 foi das surpresas; isso continuará?

A temporada do futebol europeu muitas vezes não é tão imprevisível, especialmente quando se fala dos campeonatos nacionais. Mas 2020/21 foi um ano atípico e tivemos vários campeões e times de boas campanhas que não eram esperados. Todos os principais países tiveram pelo menos algo a destacar. 

Então vamos país a país para relembrar alguns feitos?

Espanha

Barcelona e Real Madrid ganharam 15 dos 16 títulos espanhóis desde a temporada 2004/05. Antes desta temporada o único invasor foi o Atlético de Madrid em 2013/14. Pois bem, os colchoneros voltaram a estragar o ano dos rivais com mais um título em 2020/21.

A brilhante campanha do time de Diego Simeone ainda teve um plus com a chegada de Luis Suarez, basicamente dispensado pelo Barcelona depois do vexatório 8 a 2 sofrido pelos catalães contra o Bayern de Munique na Champions League.

Inglaterra

O campeão na Inglaterra foi o Manchester City, o que não é bem uma surpresa. Mas aqui há que citar duas coisas. O West Ham, candidato ao rebaixamento antes da temporada começar, terminou em sexto. A montagem do elenco e o trabalho de David Moyes foram sensacionais, inclusive ao recuperar os talentos de Jesse Lingard.

Em entrevista ao site de apostas esportivas Betway, Lingard reconheceu que o ambiente do time londrino e a força do elenco possibilitaram a histórica campanha, a melhor em mais de 20 anos.

Também há que citar o Chelsea aqui. O time começou a temporada com Frank Lampard e com vários reforços caros não dando certo. Terminou como campeão europeu com Thomas Tuchel no comando, depois de sua saída do PSG. 

França

Antes da temporada começar na França é interessante ver as odds futuras de quem será campeão. O PSG sempre é o favorito por margens incríveis e por isso quem apostou no Lille está com um sorriso do tamanho da Torre Eiffel. 

O time do norte da França foi campeão nos anos 40, 50 e foi tri em 2010/11. O tetra veio com um trabalho sensacional de Christophe Galtier, treinador que deixou o clube após a conquista e quatro anos no clube. O PSG, que venceu sete das últimas nove edições, ficou a ver navios.

Itália

Outro time que foi dominante mas não em 2020/21 foi a Juventus. Nove vezes campeã italiana de forma seguida, não deu para chegar na décima conquista porque a Inter de Milão fez uma campanha incrível com o treinador Antonio Conte, que foi o técnico em alguns dos títulos italianos da Juventus também.

Romelu Lukaku foi a grande estrela da campanha da Inter, que tinha sido a última a dominar o cenário nacional antes da Juventus começar a atropelar geral. Entretanto, por causa de problemas financeiros dos donos da equipe, a Inter deve ter que dar um passo para trás. Conte já saiu e é possível que algumas das estrelas do time façam o mesmo.

Liga Europa

A Liga Europa é uma competição fascinante porque abre espaço para equipes boas, mas que não tem elencos multimilionários possam levantar um troféu.

Mesmo assim lá estava na final o Manchester United, que se não é o mesmo da era Alex Ferguson, ainda é um dos gigantes do futebol mundial. Do outro lado o Villarreal, clube espanhol que em quase um século de história nunca teve um título. O jogo terminou 0 a 0 depois dos 90 minutos regulamentares e 30 de prorrogação. Nos pênaltis, em uma disputa que rodou os dois times, inclusive os goleiros, o Villarreal venceu. Que temporada inacreditável e cheia de surpresas!

E na Euro?

A Euro 2020 teve que ser adiada por causa da pandemia e será disputada agora, entre os meses de junho e julho. O grande favorito é a França, campeã do mundo e com a espinha dorsal ainda jovem para buscar a conquista europeia, que fugiu em 2016.

Um time que tem Cristiano Ronaldo não é bem uma zebra, mas ele machucou na final de 2016 e quem fez o gol da vitória dos azarões portugueses foi Eder, jogador de carreira instável para dizer o mínimo. Será que teremos a continuação das surpresas agora pelas seleções? Veremos nos gramados europeus.

O post Temporada europeia de 2020/21 foi das surpresas; isso continuará? apareceu primeiro em Jornal de Brasília.

Ir a la fuente
Author: Jornal de Brasília

Powered by WPeMatico